O Adolescente e a Igreja – Obstáculos na Caminhada Cristã

O Adolescente e a Igreja – Obstáculos na Caminhada Cristã

Estamos iniciando mais uma jornada de estudos. Como tem sido esta experiência para você? Ela tem feito a diferença? Tem edificado sua vida?

Não queremos, queridos líderes e Cadetes, que estes estudo sejam apenas mais uns – dentre muitos outros – que passam pela mente e logo são esquecidos. Pelo contrário, queremos que eles sejam ensinamentos reais na vida de cada um de seus ouvintes. Mas isto não é possível sem luta, sem dificuldades! Sim, viver o que a Palavra de Deus nos ensina é um verdadeiro desafio.

Por isso, esta série será composta por estudos que falam exatamente sobre isso: as dificuldades da caminhada do crente e a necessidade de se perseverar naquilo que é esperado de nós.

Que você, ao ouvir e estudar estes ensinamentos, ame cada vez mais a Palavra de Deus! Que você saiba que existem sim, muitos obstáculos a serem vencidos, mas que o nosso Deus nos providenciou auxílio para quando sentíssemos dificuldades e quiséssemos desistir e, nos inspira a perseverar no Seu Corpo – a Igreja – a fim de alcançarmos o que ele tem de melhor para nós!

Que Deus abençoe todos vocês!

Pr. Mário Rubens & Jocélia

Departamento Nacional de Adolescentes

Cadetes a Jato – O Adolescente e a Igreja

Pr. Mário Rubens Neves Ribeiro Júnior/Asa Maranhense

(Reunião:01)Tema: Cadete, persevere na Igreja!

INTRODUÇÃO

Quantos Cadetes já abandonaram a Igreja de Cristo? Quantos Cadetes que freqüentavam nosso grupo já não estão mais na Igreja? Onde está o Cadete que fazia parte do seu Esquadrão, tirava graduação, pagava as mensalidades em dia, sempre pontual e alegre no grupo?

Infelizmente muito deles deixaram a Igreja, deixaram de desfrutar a plena comunhão com os outros cristãos.

Quando você conversa com um destes Cadetes que abandonaram a Igreja, eles dizem que foram muitos os motivos e razões que os levaram a abandonar a Igreja. Na verdade, estes motivos são apenas desculpas sem fundamento. Pois, o que aconteceu foi que eles não perseveraram.

A palavra perseverar que dizer permanecer, estar firme, não mudar. Os cristãos primitivos eles perseveravam sempre. Para que possamos permanecer na Igreja devemos perseverar sempre:

1. Pois é uma característica dos salvos em Jesus Cristo

Atos 2.41-42a nos diz o seguinte: Então os que lhe aceitaram a palavra foram batizados; havendo um acréscimo naquele dia de quase três mil pessoas. E perseveravam[...]. Este texto bíblico deixa evidente uma grande verdade para nós, que é: Todo aquele que é salvo em Jesus Cristo persevera.

O texto mostra esta verdade de maneira clara, quando nos informa que naquele dia houve um acréscimo de quase três mil pessoas e eram estas três mil pessoas juntas com os apóstolos que estavam perseverando.

Cadete, se realmente você reconheceu um dia que era pecador e precisava ter Jesus Cristo como teu Senhor e Salvador, você terá prazer e vontade de permanecer na Igreja. Como salvo em Jesus Cristo você irá perseverar para permanecer na Igreja.

Você não persevera na Igreja, porque a mesma tem um programa legal, porque o louvor é um máximo e o pastor é muito engraçado quando está pregando no púlpito. O motivo que o leva a perseverar é que você é salvo em Jesus Cristo.

Se você conhece alguma pessoa que afirma que é salvo em Jesus Cristo, que um dia o reconheceu como Salvador e esta pessoa não permanece na Igreja, duvide da sua salvação, pois como já foi dito: Todo salvo em Jesus Cristo persevera e permanece na Igreja.

2. Mesmo diante da diversidade do corpo de Cristo

Muitos Cadetes não perseveraram na Igreja por não conseguirem conviver com determinado tipo de pessoas. Eles afirmam que não conseguem conviver com fulano ou com sicrano porque são diferentes dele e pensam diferente dele.

Novamente precisamos voltar os nossos olhos para Igreja primitiva. Atos 2:42a nos informa que eles perseveravam e fazia isso continuamente e esta esperança toda ocorria mesmo diante da diversidade de pessoas que agora faziam parte do Corpo de Jesus Cristo. Vejamos o que fala Atos 2.8-11: E como ouvimos falar, cada um em nossa própria língua materna, partos, medos e elamitas e os naturais de Mesopotâmia, Judéia, Capadócia, Ponto e Ásia; da Frígia e da Panfília, do Egito e das regiões da Líbia nas mediações de Cirene, e romanos que aqui residem, tanto judeus como prosélitos, e cretenses e arábios; como ouvimos falar em nossas próprias línguas e as grandezas de Deus?

Foram essas pessoas que nasceram nessas nações que se converteram depois do discurso de Pedro. Eram pessoas que nasceram em culturas diferentes. Vieram de lugares diferentes. Além disso devemos concluir que pessoas de classes sociais diferentes também faziam parte desses três mil convertidos. Era uma grande diversidade de pessoas, mas sendo assim aqueles primeiros cristãos perseveravam.

Querido Cadete, se na sua Igreja há pessoas que pensem e agem diferentes de você, isto não é motivo ou desculpa para você deixar de perseverar e sair da Igreja.

CONCLUSÃO

Cadete, não deixe de perseverar! Você é salvo em Jesus Cristo e os salvos perseveram! Mesmo diante da diversidade do Corpo de Cristo, mesmo não tendo pessoas que pensem igual a você não deixe de perseverar!

Cadetes a Jato – O Adolescente e a Igreja

Pr. Mário Rubens Neves Ribeiro Júnior/Asa Maranhense

(Reunião:02)Tema: Perseverar na Igreja, tudo bem, mas em que? (Parte 1)

INTRODUÇÃO

No estudo da reunião passada nós vimos que devemos perseverar porque somos salvos em Jesus Cristo e isso deve acontecer mesmo na diversidade de pessoas dentro da nossa Igreja. Com certeza você entendeu a necessidade de perseverar, porém pode ter surgido a seguinte pergunta em sua cabeça: Perseverar, mas em que?

Hoje iremos estudar em que os cristãos primitivos perseveravam e que você Cadete deve perseverar sempre.

1. Perseveravam na doutrina

Atos 2.42 nos diz que os primeiros cristãos perseveravam na doutrina dos apóstolos. Este é o primeiro ponto em que você Cadete deve perseverar – na doutrina. Muitos adolescentes não tem perseverado na doutrina da Igreja que baseada na doutrina dos apóstolos que baseada na doutrina de Jesus Cristo.

Em primeiro lugar perseverar na doutrina, de modo prático, é ser um freqüentador assíduo da Escola Bíblica Dominical. Sempre estar presente. Nunca faltar uma lição por motivos quaisquer. É também freqüentar o culto de Estudo Bíblico da Igreja, pois este culto não é só para adultos, mas para todos os crentes da Igreja. É prestar atenção nas pregações do pastor da sua Igreja, evitando as conversas paralelas e o vai e vem dentro da Igreja.

Perseverar na doutrina também é um desejo profundo de aprender mais sobre a Palavra de Deus. Leia I Pedro 2.2: Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele vades crescendo.

Perseverar na doutrina é também evitar ser ensinado por cristãos que não acreditam da mesma maneira que a sua Igreja ensina as verdades cristãs encontradas na Bíblia. (Igreja Cristã Evangélica – AICEB e outras aceitam o trabalho de Cadetes e concordam com a confissão de fé da AICEB).

2. Perseveravam na comunhão

O mesmo texto de Atos 2.42 também nos informa que os cristãos da Igreja primitiva perseveravam... na comunhão. Além de perseverar na doutrina os primeiros cristãos também perseveravam na comunhão.

No estudo passado vimos que era uma Igreja formada por diversas pessoas que nasceram em lugares diferentes e que pertenciam a classes sociais diferentes, mas eram essas pessoas que perseveravam na comunhão. Estavam juntas, viviam unidas como verdadeiros discípulos de Jesus Cristo.

Você adolescente também deve perseverar na comunhão como os irmãos. Você faz parte de sua Igreja, você é importante para a Igreja. Não desista da comunhão da Igreja, mesmo quando surgir algum problema dentro da mesma.

Olhe para a vida dos primeiros cristãos. A Igreja primitiva não era perfeita. Ela tinha os seus problemas internos. Porém, aqueles irmãos em Cristo não desistiam da comunhão uns com os outros, eles perseveravam na comunhão.

Perseverar na comunhão também é amar os irmãos (Rm 12.10); é alegrar com os que estão alegres e chorar com os que estão tristes (Rm 12.16); é suportar o irmão (Cl 3.13) entre tantos uns aos outros que podemos encontrar na Bíblia.

CONCLUSÃO

Todo Cadete deve sempre perseverar na doutrina e na comunhão de sua Igreja. Que Deus nos abençoe ricamente e nos faça crescer na graça e no conhecimento do Senhor Jesus Cristo. Amém.

Cadetes a Jato – O Adolescente e a Igreja

Pr. Mário Rubens Neves Ribeiro Júnior/Asa Maranhense

(Reunião:03)Tema: Perseverar na Igreja, tudo bem, mas em que? (Parte 2)

INTRODUÇÃO

Você andou refletindo no que foi estudado na nossa última reunião? Cadete, você entendeu realmente que deve perseverar na doutrina e na comunhão da Igreja? Se você já vinha fazendo isso antes daquele estudo muito bem, continue fazendo. Se você não estava perseverando na doutrina e na comunhão da Igreja já é a hora de começar.

Hoje iremos ver em que mais os primeiros cristãos perseveravam e que você também deve perseverar como adolescente cristão.

1. Perseveravam no partir do pão

Atos 2.42 nos informa que os primeiros cristãos também perseveravam... no partir do pão. Esse partir do pão é na verdade a Ceia instituída por Jesus Cristo, que mais tarde foi mencionada por Paulo em I Coríntios. É importante ressaltar que esta Ceia praticada pela Igreja primitiva não era ainda Ceia institucionalizada como características formais, mas sim um ato informal.

A perseverança dos novos cristãos no partir do pão era uma identificação pessoal com a pessoa de Jesus Cristo. Além disso, era a característica de uma verdadeira comunhão com Deus e com cada cristão presente.

É interessante que muitos adolescentes não tem perseverado no partir do pão. No dia da Ceia do Senhor eles não vão aos cultos, ou não ficam no templo no momento da Ceia do Senhor e ficam do lado de fora conversando não dando a devida importância para o que esta sendo realizado. A desculpa dada por eles é que não são batizados e por isso não podem participar da Ceia.

Realmente a Ceia é somente para quem é batizado, no entanto isso não quer dizer Cadete que você não deve perseverar mesmo quando você não recebe os elementos. Você como cristão deve ficar no templo até o final da Ceia do Senhor mostrando que você faz parte do Corpo de Jesus Cristo e que um dia será batizado.

2. Perseveravam nas orações

Os primeiros cristãos também perseveravam nas orações (Atos 2.42). Eram cristãos que estavam constantemente orando a Deus. Era uma comunidade de novos cristãos que se dedicavam a oração.

E você Cadete? Tem perseverado na oração? Quanto tempo você dedica no seu precioso dia para orar a Deus? Quantas vezes você já orou pela sua Igreja? Pelo seu pastor? Por algum irmão da Igreja?

Perseverar em oração é isso. É tirar um horário no dia para orar a Deus. Você tem tempo para tudo. Tempo para estudar, comer, dormir, brincar, jogar, conversar e passear, e porque você não tem tempo para orar? Perseverar em oração é orar pela sua Igreja, pelo seu pastor, pelo irmão da Igreja, pelo grupo de Cadetes, pelos seus líderes de Cadetes, pela sua família, pelos seus amigos e não crentes, etc.

Perseverar em oração também é freqüentar qualquer culto de oração que a sua Igreja promova. Toda Igreja possui, pelo menos, um dia reservado para oração, ou seja, um dia da semana a Igreja se reúne para orar no templo ou na casa de algum irmão. Mas o que se nota nestes cultos de oração é a pouca freqüência de Cadetes neste culto.

São poucos os Cadetes que perseveram no culto de oração. São poucos que são fieis freqüentadores no culto de oração de sua Igreja.

Cadete você também deve perseverar na oração. Em primeiro lugar tendo uma vida de oração e depois freqüentando com fidelidade o culto de oração.

CONCLUSÃO

Que a vida dos primeiros cristãos seja um exemplo de perseverança para você Cadete. Você deve perseverar na Igreja. Não desista nunca! Persevere sempre na doutrina, na comunhão, no partir do pão e nas orações.

Lembre-se, não existe salvo sem Igreja. Se realmente você é salvo terá prazer em estar na Igreja. Que Deus vos abençoe.

Cadetes a Jato – O Adolescente e a Igreja

Pr. Mário Rubens Neves Ribeiro Júnior/Asa Maranhense

(Reunião:04)Tema: O que fazer para ter e viver em uma igreja saudável.

INTRODUÇÃO

Vocês cadetes escreveram e leram o que seria necessário para se viver em uma igreja perfeita. Porém aqui na terra não existe igreja perfeita, por que ela faz isso e é assim e assim. Mas como a nossa, também é uma igreja que tem problemas.

Não existe igreja perfeita, porém existe igrejas saudáveis. A igreja saudável é uma igreja que tem problemas e falhas, passa por dificuldades, mas procura resolve-los de maneira bíblica promovendo o seu crescimento e desenvolvimento.

Você, cadete, pode contribuir para que sua igreja seja uma igreja saudável. Como fazer isso?

1. Amando os irmão – Romanos 12:9,10

A primeira atitude que eu devo ter para ajudar a minha igreja ser saudável é amar meus irmãos em Cristo. Quando falamos em amar do mais novo ao mais velho.

Segundo o texto este amor deve ser sem hipocrisia, ou seja, não deve ser um amor falso. O amor falso entre os irmãos é aquele que na hora da confraternização do culto diz: Meu irmão eu te amo!, mas lá fora vive falando mal do irmão.

Amar é um mandamento deixado por Jesus. Se queremos ter e viver em uma igreja saudável devemos viver em amor, obedecendo o mandamento de Deus.

2. Vivendo em união – Romanos 12: 16

Uma igreja que pensa a mesma coisa, que vive em briga e que nenhum momento consegue viver unida jamais será uma igreja saudável. É infelizmente o que se pode ver em muitas igrejas evangélicas é a falta de união entre os irmãos.

A igreja saudável vive em união. Os irmão se esforçam ao máximo para viverem unidos e evitar qualquer situação que venha destruir essa união. Cadete, você faz parte da sua igreja e deve se esforçar ao máximo para manter e viver em união com os outros irmão da igreja. Se você fizer isso você estará contribuindo para que a sua igreja seja um lugar saudável.

3. Sempre perdoando – Efésios 4: 32

Vira e mexe nos ofendemos e sentimos magoados com a atitude ou palavra de algum irmão. E geralmente não é fácil perdoar o irmão que nos ofendeu. No entanto, se queremos ter e viver em uma Igreja saudável, devemos sempre perdoar aqueles que nos tem ofendido , independente do que ele fez.

O perdão é um ensinamento do nosso Senhor Jesus Cristo, além de ensinamento também é um mandamento que deve ser obedecido á risca. Jesus não só ensino sobre perdão como também o demostrou na pratica.

CONCLUSÃO

Certa vez, uma grande floresta estava pegando fogo. O fogo estava se espelhando rapidamente floresta a dentro. Todos os animais estavam correndo para fora da floresta, tentando fugir do fogo que cada vez mais aumentava. Um destes animais q fugiam era um elefante. De repente, na sua fuga, ele para, pois algo lhe chamou a atenção. Ele viu um pequeno beija-flor indo até o rio mais próximo, pegava agua com seu pequeno bico e jogava sobre alguma chama daquele grande fogo. O pequeno beija-flor não parava de fazer isso até quando o grande elefante interrompeu dizendo:

- beija-flor, você não vai fugir? O fogo está crescendo !

- Não! – Disse o beija-flor – Eu sei que o fogo está crescendo.

- Você que com esta atitude tão simples, e você sendo tão pequeno vai impedir que o fogo pare de crescer a ponto de apaga-lo? – Perguntou o elefante com pena e ironia.

– Claro que não – retrucou o pequeno beija-flor – Mais estou fazendo a minha parte.

Essa deve ser a sua atitude, cadete. Faça sua parte! Contribua para ter e viver em uma igreja saudável.

Cadetes a Jato – O Adolescente e a Igreja

Pr. Mário Rubens Neves Ribeiro Júnior/Asa Maranhense

(Reunião:05)Tema: O que evitar para ter e viver em uma Igreja Saudável.

INTRODUÇÃO

No estudo passado vimos o que é necessário fazer para ter e viver em um igreja saudável. Devemos amar os irmãos, viver em união e perdoando sempre. Se tivermos tais atitudes estaremos contribuindo para ter viver em uma igreja saudável.

No entanto, não é só fazendo estas coisas que viveremos em uma igreja saudável. Também é necessário evitar algumas coisas para ter e viver em uma igreja saudável.

Neste estudo iremos, juntos, ver o que podemos evitar para ter e viver em uma igreja saudável. Vamos nessa!

1. Devemos evitar as brigas – Romanos 12.17-25

Deve ser muito ruim viver em um lugar onde as pessoas vivam brigando, gritando todo tempo uma com as outras e se ofendendo com palavrões. Se existe um lugar assim, este é um lugar muito infeliz.

Se quisermos ter e viver em uma igreja saudável é evitar as brigas ou contendas. Esta é uma recomendação do apóstolo Paulo aos cristãos de Roma, mas que serve perfeitamente para nós em nossos dias. É evidente que inicialmente esta recomendação era para os crentes em relação a sua atitude para os incrédulos, mas que também são aplicáveis à vida da igreja.

Paulo nos exorta a não descontar o que fizeram de ruim conosco (Rm 12.17), nos esforçar ao máximo para manter a paz (Rm 12.18) e não nos vingarmos dos nossos irmãos em Jesus Cristo (Rm 12.19).

Cadete, o que depender de você tenha paz com todos os homens. Evite qualquer tipo de contenda e qualquer tipo de vingança, pois só assim você terá e viverá em uma igreja saudável.

2. Devemos evitar o mau uso da língua – Tiago 3.2-12

A fofoca é um mal que acaba com a comunhão da Igreja. É tão ruim ver irmãos falando da vida do outro irmão, fazendo comentários ruins e muitas vezes falsos a respeito de algum irmão. A fofoca estraga a vida da igreja. Os irmãos perdem a confiança uns nos outros.

Tiago nos adverte sobre o mau uso da língua. Compara a mesma com uma fagulha que põe em brasas tão grande selva (Tiago 3.5) e como há um pequeno leme de navio que o desloca para qualquer direção (Tiago 3.4). Afirma que a mesma é carregada de veneno mortífero (Tiago 3.8).

Devemos ter cuidado com a nossa língua. Evitar o mau uso da mesma. Evitar as fofocas. Evitar fazer comentários ruins a respeito da vida de algum irmão da igreja. Evitando o mau uso da língua você, cadete, terá e viverá uma vida saudável.

3. Devemos evitar críticas destrutivas – Romanos 14.13

Outra atitude que devemos evitar para ter e viver em uma igreja saudável é evitar as críticas destrutivas. Ninguém gosta de receber uma crítica que venha desestimular em realizar algum trabalho. Ninguém gosta de receber críticas que venham a envergonhá-lo na frente dos outros. Você gosta?

Evite críticas aos outros de maneira negativa. Sempre que você tiver alguma observação a fazer a respeito de algum irmão converse com ele pessoalmente de modo amigável e como irmão em Jesus Cristo.

CONCLUSÃO

Ao evitar tais atitudes você estará contribuindo para que a sua igreja seja um lugar saudável.

Cadetes a Jato – O Adolescente e a Igreja

Pr. Mário Rubens Neves Ribeiro Júnior/Asa Maranhense

(Reunião:06)Tema: Sendo um ramo frutífero dentro da Igreja.

INTRODUÇÃO

Cadetes, todos nós ou pelo menos os que estão em Jesus Cristo, são salvos também para frutificar. No entanto, tem muito crente que está dentro da igreja e nunca produziu sequer um fruto.

Você, como um salvo, deve produzir frutos. Você deve ser um ramo, mesmo sendo um adolescente, frutífero dentro da igreja. Você deve ser um ramo frutífero dentro da nossa igreja. O texto de João 15.1-12 nos ensina como podemos nos tornar e ser um ramo frutífero dentro da nossa igreja.

1. Permanecendo na dependência de Jesus

Aqui está o primeiro segredo que Jesus Cristo nos ensina para sermos ramos frutíferos dentro da nossa igreja. O segredo é depender dEle exclusivamente. É viver na dependência dEle para tudo o que vamos fazer.

Essa verdade fica bem clara quando lemos as seguintes palavras de Jesus Cristo: permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira; assim nem vós podeis dar, se não permanecerdes em mim. (João 15.4). Neste ponto Jesus faz uma analogia com a videira, afirmando que se o ramo não estiver ligado à videira ele não pode dá frutos. Assim também é o adolescente cristão, se ele não estiver ligado a Jesus, ou seja, se ele não estiver na dependência exclusiva de Jesus não produzirá frutos, não será um ramo frutífero dentro da igreja.

No entanto Jesus não fica só nesta comparação para afirmar que sem depender dele nada podemos fazer, Ele continua quando diz: ... porque sem mim nada podeis fazer. (João 15.5c). Jesus Cristo deixa bem claro que sem Ele não iremos produzir fruto algum.

Você que produzir frutos? Você quer ter uma vida frutífera? Você quer ser um ramo que produza frutos dentro de sua igreja? Então, querido cadete, dependa exclusivamente de Jesus Cristo.

2. Permanecendo nas Palavras de Jesus Cristo

Aqui está outro segredo para você cadete ser um ramo frutífero dentro da sua Igreja. O segredo ensinado por Jesus é permanecer em Suas Palavras. Ele ensinou aos seus discípulos que se eles quisessem frutificar deveriam permanecer nas suas palavras.

Jesus disse aos seus discípulos: Se permanecerdes em mim e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito. Nisto é glorificado meu Pai, em que deis muitos frutos... (João 15.7,8a).

Muitos adolescentes não tem sido uma vida frutífera pelo fato de não permanecerem nas Palavras de Jesus Cristo, ou seja, muitos adolescentes não tem guardado a Palavra de Jesus Cristo em suas vidas.

Queiro Cadete se você deseja ter uma vida frutífera, ou seja, produzir muitos frutos comece a permanecer nas palavras de Jesus, lendo e praticando o que está escrito na Palavra Sagrada.

3. Permanecendo no Amor de Jesus Cristo

O terceiro segredo que encontramos em João 15.1-12 para ser um ramo frutífero dentro da igreja é permanecendo no amor de Jesus.

O permanecer no amor de Jesus para ser um ramo frutífero tem dois significados e aplicações para a nossa vida.

Em primeiro lugar está relacionado com o Senhor Jesus Cristo. Permanecer em Seu amor é obedecer e servir a Jesus fielmente.

Em segundo lugar este permanecer no amor de Jesus Cristo deve ser evidenciado na nossa relação com os irmãos da igreja. Deve ser um amor verdadeiro. Isto fica bem claro nas palavras do próprio Jesus Cristo: o meu mandamento é este, que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei (João 15.12)

Cadetes a Jato – O Adolescente e a Igreja

Pr. Mário Rubens Neves Ribeiro Júnior/Asa Maranhense

(Reunião:07)Tema: Por que devo freqüentar a Igreja?

INTRODUÇÃO

Alguma vez na vida você já se perguntou porque frequenta uma igreja? Talvez você já até perguntou para os seus pais o porque de frequentar uma igreja. Você não está errado em querer saber os motivos que levam você a frequentar uma igreja.

Neste estudo você, querido Cadete, verá dois motivos que nos dão a motivação certa para frequentarmos a igreja.

1. Frequentar a igreja é um característica dos salvos

Você tem certeza que é salvo em Jesus Cristo? Você já tomou uma decisão em relação a Jesus Cristo? Se você se considera uma pessoa salva em Jesus Cristo naturalmente terá um desejo verdadeiro de frequentar a Igreja. Por que? Em primeiro lugar Deus salva o homem pecador, mas também o coloca entre o povo de Deus – a igreja. A obra salvadora que Deus realiza em nossas vidas nos leva a viver em família é a Igreja. A obra seguinte... Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos.

Todos aqueles que Deus estava salvando estavam sendo inseridos na Igreja.

Ninguém que se diz ser salvo não pode viver fora da Igreja.

2. Frequentar a igreja é um mandamento divino

Você crê que a Palavra de Deus, a Bíblia sagrada, é a própria voz de Deus? Sim. Realmente a Bíblia Sagrada é a palavra do próprio Deus e desobedecer qualquer mandamento escrito na Bíblia é desobedecer ao próprio Deus.

Então, querido Cadete, se você não tem freqüentado a igreja como deveria fazer, você está desobedecendo a Deus, pois se manter firme e freqüente na igreja é um mandamento expresso pelo próprio Deus.

Hebreus 10.25 fala o seguinte Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns... Aqui está um mandamento para mim e para você Cadete. Frequentar a igreja é um mandamento. E um mandamento dado por Deus não nos dá a opção de desobedecer, mas sim de cumprir.

CONCLUSÃO

Se você tinha a ideia de que alguém pode ser crente e não frequentar uma igreja, você está redondamente enganado. Estes motivos para freqüentar são dados por Deus em Sua Palavra.

Cadetes a Jato – O Adolescente e a Igreja

Pr. Mário Rubens Neves Ribeiro Júnior/Asa Maranhense

(Reunião:08)Tema: O Cadete tem o dever de ajudar a igreja.

INTRODUÇÃO

Muitos Cadetes têm levado uma vida confortável dentro da igreja. São adolescentes que não se envolvem com a igreja. Estão em todos os cultos, mas ficam só sentados olhando os outros trabalharem.

Não são capazes de mover uma “agulha” para ajudar a igreja a crescer cada vez mais, não pode ficar só sentado no banco.

Em que você pode ajudar a sua igreja?

1. No cumprimento da grande comissão

A igreja de Jesus Cristo, composta por cada pecador regenerado, recebeu a ordem de anunciar o evangelho a todas as criaturas, é o que conhecemos por A Grande Comissão deixada por Jesus Cristo. (Mateus 28.18-20).

A Grande Comissão deixada por Jesus consiste em fazer discípulos, batizar e ensinar os mandamentos e ensinamentos de Jesus.

O adolescente deve estar envolvido com a Igreja no cumprimento da Grande Comissão. Como?

Evangelizando os amigos e os familiares que não são crentes. Se envolvendo nos trabalho de evangelismo que a igreja realiza. Ajudando o adolescente recém convertido a ficar firme na igreja.

2. Na adoração a Deus

A igreja tem o dever de adorar a Deus. Como adolescentes para Cristo, vocês cadetes também devem se envolver nesta tarefa tão maravilhosa dada a igreja, que é adorar a Deus.

Paulo nos ensina que Deus nos destinou e nos escolheu em Cristo “para sermos para louvor da sua glória” (Efésios 1.12). A nossa adoração a Deus não é somente um momento no culto, que é resumido ao louvor, toda a nossa vida deve ser uma adoração ao Deus que nos salvou.

Esta adoração a Deus deve brotar do nosso coração (Efésios 5.16-19)

APLICAÇÃO

Cadete você deve parar de ficar parado e começa ajudar a sua igreja. Se envolva. Pergunte ao seu pastor em que você pode ser útil.

Cadetes a Jato – O Adolescente e a Igreja

Pr. Mário Rubens Neves Ribeiro Júnior/Asa Maranhense

(Reunião:09)Tema: Confiança diante dos obstáculos.

INTRODUÇÃO

Deus usa os obstáculos para cumprir o propósito dEle nas nossas vidas. A Bíblia diz que “Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus” (Rm 8.28).

Muitas vezes não entendemos por que Deus não nos permite andar por estradas largas, planas com todos requisitos de uma boa estrada. Nós nos entristecemos quando temos que para, analisar e procurar uma saída quando nos deparamos com obstáculos, a saber, as dificuldades nesta da vida. Porém, Deus usa os obstáculos para alcançar o seu propósito em nossa vida.

É muito interessante notar que pessoas do passado, verdadeiros servos de Deus, foram vítimas de obstáculos tendo como finalidade o propósito de Deus alcançado; destacaremos alguns:

A – Daniel

Daniel era um homem temente a Deus. Mesmo quando foi levado para Babilônia permaneceu fiel ao seu Deus. A Bíblia diz que ele “Resolveu não contaminar-se com as finas iguarias de rei...” (Daniel 1.8).

Deus deu a Daniel inteligência de todas as visões e sonhos (Dn 1.17), tudo que ele fazia prosperava. Ele interpretou o sonho de Nabucodonosor, leu as escrituras na parede no reinado de Belsazar. Porém, no reinado de Dario destaca-se um momento que o levou a alcançar o propósito de Deus: Daniel jogando na cova dos leões.

O propósito de Deus foi alcançado através desse obstáculo na vida de Daniel. Como desfecho de toda a situação foi decretado pelo rei Dario que em todo o seu reino os homens tremam e temam perante o Deus de Daniel (Dn 6.25-28). Daniel continuou prosperando no reinado de Dario e no reinado que sucedeu.

B – O cego de nascença (João 9.31-34)

Esse homem, de quem não se sabe o nome, passou por momentos difíceis em sua vida. Não é necessário muito esforço para termos essa convicção, basta pensarmos no período de cegueira (desde o seu nascimento), no sofrimento de uma vida sem ver absolutamente nada! Tudo isso temos como grande obstáculo para vida de qualquer um.

Seu problema era tão visível que ele tornou-se bem conhecido devido a vida que levava como cego. Diante de pergunta dos discípulos, a resposta sábia de Jesus veio a tona “nem ele pecou nem seus pais; mais foi para que se manifeste nele a glória de Deus” (João 9.3)

O propósito de Deus com certeza foi alcançado na vida daquele homem que dantes fora cego e de muitos que o conheciam.

C – Lázaro (João 11)

A enfermidade de Lázaro o levou a morte. Quando Jesus recebeu a notícia ele disse: “Essa enfermidade não é para morte, mas para glória de Deus, a fim de que o Filho do homem seja glorificado”.

Quando Jesus chegou já havia quatro dias que Lázaro estava morto. Porém, esse obstáculo seria para alcançar o propósito de Deus na vida de Lázaro e de muitos judeus que tinham ido visitar as irmãs. Vendo o que fizera Jesus creram nele (João 11.45)

Nada acontece em nossa vida por acaso ou coincidência. Em tudo Deus tem um propósito. Além desses nomes que destacamos aqui tem muitos outros servos de Deus que passaram por momentos difíceis porém venceram.

APLICAÇÃO

Que os obstáculos que nos sobrevirão nos façam entender que é tão somente para alcançar o propósito de Deus e glorificar o seu nome. Lembremo-nos do que a Palavra nos diz: “Portanto tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau, e, depois de terdes vencido tudo permanecer inabaláveis.

Cadetes a Jato – O Adolescente e a Igreja

Pr. Mário Rubens Neves Ribeiro Júnior/Asa Maranhense

(Reunião:10)Tema: Preguiça.

INTRODUÇÃO

Um texto de grande alerta ao preguiçoso: “vai ter com a formiga”.

Que grande absurdo, o preguiçoso pode afirmar. Eu? Quem sou eu para me assemelhar com as formigas!!! Porém, a Palavra do Senhor exemplifica muito bem. Que aceite ou não, o preguiçoso, precisa se submeter a esse desafio. A formiga tem grande lição de coragem e se faz necessário seguir o seu exemplo.

O sábio Salomão declara em Eclesiastes 10.18 “Pela muita preguiça se enfraquece o teto e pela frouxidão das mãos goteja a casa”.

Há outros textos que merecem ser observados:

“Ó preguiçoso até quando ficarás deitado...?” (Pv 6.9)

“O preguiçoso não assa a sua carne” (Pv12.27)

“A alma do preguiçoso faz cair em profundo sono”... (Pv 19.15)

“O desejo do preguiçoso o mata porque as suas mãos recusam trabalhar” (Pv 21.25)

A – Consequências da preguiça

De acordo com o sábio Salomão as consequências do preguiçoso são dolorosas, pois, o mesmo se preocupa apenas em ficar deitado (Pv 6.9). O preguiçoso é capaz de ficar com fome, pois, não tem coragem de assar a sua carne. Ele tem desejos, sonhos, porém, jamais alcança, pois, a preguiça não lhe deixa lutar, e o mais triste é que o tal preguiçoso pode morrer, pois as suas mãos recusam trabalho.

Acredito que você, Cadete, pode tomar como desafio viver a sua vida com garra e com coragem.

B – Consequências da coragem

O dicionário define coragem como sendo: “Energia moral ante a situações aflitivas ou difíceis”. A Bíblia nos conta fatos de vários servos do Senhor que foram bastante corajosos em meio a grandes desafios. Queremos destacar Josué. Após a morte de Moisés o Senhor lhe passou uma grande responsabilidade que seria a de continuar guiando o povo até a terra prometida, porém o Senhor lhe disse: “Sê forte e mui corajoso...” (Js 1.6-7). Há grande resultado para aqueles que agem corajosamente.

APLICAÇÃO

A preguiça é pecado quando se torna parte integrante de nosso caráter. O cristão tem o caráter de Cristo, e nele não há lugar para a preguiça (João 5.17). O verdadeiro cristão precisa buscar a santidade e, para isso, precisa estar sempre lendo e vivendo a Palavra e em comunhão com o Senhor na oração, e somente assim conseguirá vencer esse obstáculo da caminhada cristã.

Cadetes a Jato – O Adolescente e a Igreja

Pr. Mário Rubens Neves Ribeiro Júnior/Asa Maranhense

(Reunião:11)Tema: Orgulho.

INTRODUÇÃO

A bíblia afirma que o Senhor aborrece o orgulhoso (Pv 8:13)

O dicionário Aurélio define orgulho como sendo: “sentimento de dignidade pessoal; altivez, amor próprio demasiado, soberba”

Quantas pessoas tê se “achado” hoje em dia. Se sentem como se fosse “a ultima bolacha do pacote”, se pudessem nem andariam no chão, mas sim pisando em cima dos outro.

Essa altivez o Senhor não quer que seja cultivado pelos seus filhos. O que o Senhor quer é que os seus filhos sejam humildes e não se deixem dominar por ela, pensando ser melhor do que os outros e pensando não precisar de Deus. (I Pedro 5:6). Ele espera de seus filhos o contrario disso, que é a apreciação de uma atitude humilde que nos leve a depender apenas dEle, e não dos méritos próprios.

A – Entendendo o Orgulho

O episódio relatado por Jesus sobre o fariseu e o publicano, ilustra muito bem o aspecto do orgulho, e o resultado desastroso produzido na vida de quem se julga autossuficiente e melhor que os outros. O texto mostra a condenação de uma arrogância altiva e soberba.

O orgulho trata-se da atitude de considerar-se superior e melhor que as outras pessoas, a ponto de desprezá-las.

Por causa do orgulho muitos desprezam, humilham e oprimem seus semelhantes. Devemos observar com muito cuidado, pois os males que o orgulho causa são desastrosos. O orgulho não deixa a pessoa reconhecer que se tem algo de bom não é pelo seu próprio mérito.

Cadete, é muito feio e triste alguém considera-se superior a quem quer que seja. No lugar do orgulho, é preciso sentir gratidão a deus pelas boas dadivas que Ele concede.

O Senhor aborrece o orgulho como bem afirma a sua palavra em Pv 8: 13.

B – Lutando contra o Orgulho

Só podemos vencer o orgulho pela graça de Deus. A humildade é o remédio de Deus contra o orgulho. A Palavra do Senhor afirma que se humilha será exaltado.

Vencemos o orgulho quando colocamos nossa dependência no Senhor, quando servimos. Jesus o Senhor serviu sempre. Quem serve aos seus semelhantes desenvolve espirito de humildade.

Cadetes a Jato – O Adolescente e a Igreja

Pr. Mário Rubens Neves Ribeiro Júnior/Asa Maranhense

(Reunião:12)Tema: Egoísmo.

INTRODUÇÃO

Egoísta de acordo com o dicionário é a “pessoa que põe seus interesses pessoais acima de quaisquer outros”.

Infelizmente uma pessoa egoísta está indo contra as princípios bíblicos, pois, o que a bíblia nos recomenda é considerar o outro superior a nós mesmos (Filipenses 2: 3). É este o principio que cada Cadete deve colocar em prática em sua vida.

Há um ditado que devemos ignora “cada um por si e Deus por todos”. A Palavra do Senhor nos adverte a levar as cargas uns dos outros.

O nosso lema nos dá ua boa lição: “Um para o outro e todos para Deus”.

Essa deve ser a nossa pratica constante.

A – Características e mães decorrentes do egoísmo

Quando Paulo escreveu ao seu filho na fé Timóteo, ele relatou que nos últimos dias sobreviriam tempos difíceis, onde os homens seriam egoístas(II Timóteo 3: 2). Como já vimos na introdução que o ser egoísta caracteriza pela concentração em trono de si mesmo, ignorando completamente as necessidades do semelhante.

O ser humano foi criado com o objetivo dentre outros, de viver em comunhão uns com os outros.

A Palavra do Senhor afirma: “oh! Como é bom e agradável que os irmão viverem unidos os irmãos!” (Sl 133: 1).

Hoje em dia o que se vê é uma sociedade totalmente individualista.

O egoísmo é o grande um responsável pelas cruéis e brutais desigualdades entre pessoas, povos e nações. Mas a Palavra de Deus garante um severo juízo contra aqueles que pensam só em si (Is 5: 8; Lc 12:20,21; Tg 5: 1-6).

B – O mandamento de Deus

A bíblia nos manda amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo. Ai não há espaço para o egoísmo.

A parábola do bom samaritano relata muito bem o que significa amar ao próximo como a si mesmo.

Aonde prevalece o egoísmo não há amor, nem ao próximo nem a Deus. (Jo 4: 8)

O egoísmo arrigado em tantos corações e mentes, tem sido grande empecilho para a construção de um mundo mais humano, justo e solidário.

O nosso desafio, Cadete, é grande em revolucionar o mundo através do amor.

APLICAÇÃO

O nosso compromisso solidário não pode se limitar á Igreja a que pertencemos. Devemos abrir o coração as nessecidades que nos rodeiam e o nosso envolvimento deve ser mais abrangente e efetivo. Quando o amor determina as nossas relações, é estabelecida a fraternidade, a partilha a cooperação e a justiça. Temos muito que fazer. Então, Cadete, vamos avante!

Cadetes a Jato – O Adolescente e a Igreja

Pr. Mário Rubens Neves Ribeiro Júnior/Asa Maranhense

(Reunião:13)Tema: Inimizade.

INTRODUÇÃO

“Há amigo mais chegado que irmão” (Pv 18: 24)

A amizade é uma das maiores riquezas e esta tem causado grandes males no mundo.

Hoje em dia as pessoas tem procurado viver só pra si. A tecnologia tem distanciado as pessoas. E assim vivemos em um mundo conturbado.

A palavra do Senhor afirma que é agradável as pessoas viverem em união, em harmonia, em verdadeira amizade, que deve ser o alvo de todos nós.

Jonatas e Davi nos dão um grande exemplo de vivência da amizade verdadeira. São exemplos assim que devem ser seguidos.

A – Consequências da inimizade

. Ira- quando a ira é pecaminosa, certamente a inimizade se manifesta. A ira é pecaminosa quando o irado o retém (Ef 4: 26-27) ou quando extravasa o seu rancor em atos concretos resultando em ofensa e até agressão. O salmista davi recomendou em (Sl 37: 8).

Tiago declara em (Tg 1: 20); (Ef 4:26); (Pv 15: 1).

. Insulto- é uma agreção verbal geradora de inimizades. O apostolo Paulo recomenda que devemos proferir palavras q edifiquem (Ef 4: 29).

B – Vencendo a inimizade

A grande tendência que existe é deixar de lado, esquivar-se ou de não lembrar dos erros. Mais, lembrando que (Sl 50: 21), temos que ter atitude e fazer sua vontade. Como conseguiremos isto?

. Reconsiliação- precisamos ter coragem de dá o primeiro passo para nos reconciliarmos com o próximo. Não há limites para a reconciliação (Mt 18: 21-22; Cl 3:13). Jesus ordena que se deve ir ao próximo com o proposito de acabar com a inimizade (Mt 18:15)

O verdadeiro adorador deve viver bem com o próximo. A palavra de Deus nos ensina (I Jo 4:20).

A inimizade com certeza, Cadete, constitui-se em um obstáculo à vida de culto e oração (Mc 11:25,26).

A busca pela reconciliação deve ser constante. Os cristãos, conforme Atos deixaram o exemplo de um estilo de vida caracterizado pela união, amizade e solidariedade (At 2:44,45; 4:32).

É oportuna a declaração do salmista: (Sl 133)

APLICAÇÃO

É de grande importância o viver em harmonia e verdadeira amizade. A inimizade só traz grandes prejuízos. Em virtude disso, vamos buscar viver uma vida agradável ao Senhor praticando a sua vontade, pois, a mesma é boa agradável e perfeita.

Cadetes a Jato – O Adolescente e a Igreja

Pr. Mário Rubens Neves Ribeiro Júnior/Asa Maranhense

(Reunião:14)Tema: Maledicência.

INTRODUÇÃO

Há algum problema em falar mal dos outros? Falar mal dos outros pode se transformar em um hábito?

Cuidado!!!

Sabemos que a linguagem é um meio fantástico para a comunicação, porém, é por demais perigosa. Ela pode construir, mas também pode destruir. Pode abençoar, mas também pode amaldiçoar (Tiago 3.10).

Maledicência é difamação de alguém: falar mal de alguém, algo duramente condenado por Tiago (4.11) “Se alguém pode ser religioso, deixando de refrear a língua, antes enganado o próprio coração a sua religião é vã” (Tiago 1.26). As nossas palavras devem ser temperadas com sal (Cl 4.6)

A – Consequências do mau uso da língua

Em qualquer que seja a comunidade, uma pessoa “linguaruda” causa terríveis danos. A língua tem um potencial destruidor. A maledicência atinge o ser humano por inteiro. A Palavra do Senhor afirma: “A morte e a vida estão em poder da língua, quem bem a utiliza, come do seu fruto (Pv 18.21).

O salmista nos adverte “refreia a língua do mal e os teus lábios de falarem dolosamente” (Salmo 34.13). Esse é o remédio para viver dias felizes.

Destruição, intrigas, inimizades, invejas, ira, fofocas, são consequências desastrosas que podem surgir se não atentarmos cuidadosamente sobre a nossa maneira de falar.

Devemos, Cadetes, pedir ao Senhor para por guarda nos nossos lábios para não falarmos dolosamente.

É bom refletir antes de falar (Tiago 1.1). Gosto do pensamento que diz: “O sábio é aquele que pensa o que vai falar e não fala tudo o que pensa”. Sejamos cuidadosos.

B – Vencendo a maledicência

O Espírito Santo, nosso ajudador, auxilia-nos no cumprimento dos preceitos de Deus. Temos as Escrituras e seu numerosos ensinamentos “Tomai-vos pois, praticantes da Palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos” (Tiago 1.22). “Finalmente, irmãos tudo, o que é verdadeiro, tudo que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento” (Filipenses 4.8).

Com certeza se nos apropriarmos, Cadetes, destas verdades evitaremos cometer o pecado da maledicência.

Portanto a maledicência pode ser evitada e deve ser vencida por aqueles que tem um compromisso genuíno com o Senhor Jesus Cristo.

Que nosso modo de falar demonstre nosso fiel compromisso com o Senhor. A maledicência produz consequências terríveis para as pessoas nos seus relacionamentos. Porém cremos fervorosamente que pode ser vencida com a preciosa ajuda do Espírito Santo.

APLICAÇÃO

Podemos evitar grandes prejuízos antes de falar e não falarmos tudo que pensamos. Como diz a música: “Há momentos em que as pessoas não resolvem”. Vivamos uma vida em perfeita harmonia com o nosso próximo.

Cadetes a Jato – O Adolescente e a Igreja

Pr. Mário Rubens Neves Ribeiro Júnior/Asa Maranhense

(Reunião:15)Tema: Mentira.

INTRODUÇÃO

“A verdade tem que ser dita mesmo que doa.”

Hoje em dia a mentira muitas pessoas tem tido o hábito de mentir e acreditam que não tem nada ruim nisto, e ainda dizem: “só uma mentirinha para se sair bem não faz mal e nem prejudica a ninguém.”

Isso não é o que a Palavra do Senhor diz: A Bíblia é muito clara quando diz “Por isso deixando a mentira, fale cada um a verdade com o seu próximo...” (Efésios 4.25).

O dicionário Aurélio afirma que mentir é: “afirmar coisa que sabe ser contrária à verdade”.

Não importa o “tamanho ou cor da mentira” tudo é mentira. A mentira traz sérios prejuízos. Como diz o ditado “A mentira tem pernas curtas”.

O Cadete que é uma nova criatura precisa ter uma postura diferente, eliminando qualquer tipo de mentira em sua vida, revelando-se uma pessoa comprometida com a verdade.

Então, Cadete, você já sabe: seja qual for a classificação que se dê a mentira, ela deve está enquadrada neste mandamento “Não mintais”.

A – Prejuízos da mentira

São inúmeros os prejuízos que a mentira provoca, e aqueles que profere mentiras não escapa deles (Pv 19.5)

Prejudica o relacionamento com Deus: Deus é verdadeiro e abomina a mentira, pois Ele é a própria verdade (João 17.3). Ele não pode mentir (Hebreus 6.18). Portanto, quando a mentira prevalece o relacionamento com Deus fica prejudicado. O profeta Isaías disse que os pecados fazem separação entre as pessoas e Deus (Isaías 59.2-3). É impossível se ter um bom relacionamento com Deus usando a mentira.

Dificulta o relacionamento com o próximo: A mentira possui o poder de colocar as pessoas em grande conflito. Ela promove inimizades, contendas e separações. Muitos relacionamentos estão quebrados decorrentes de mentiras. A mentira provoca a perda da confiança mútua, prejudicando o bom relacionamento com o próximo.

Destrói o próprio mentiroso: Sem sombra de dúvida o prejuízo mais doloroso que a mentira causa é a morte. Isso está evidente no episódio bíblico do casal Ananias e Safira. Pode até ser que o mesmos tivessem boas intenções porém devido a mentira, eles tombaram aos pés de Pedro (Atos 5.1-11).

Realmente, Cadete, a mentira não pode ser tolerada dentro do corpo de Cristo.

APLICAÇÃO

A vontade de Deus, é que a verdade reine absolutamente. O sábio Salomão disse que os lábios mentirosos são abomináveis ao Senhor (Pv 6.16-19; 12.22). Não se pode esquecer que é impossível se esconder de Deus. Ele sabe e ouve tudo o que falamos. Portanto, Cadetes, falemos tão somente a verdade.

Cadetes a Jato – O Adolescente e a Igreja

Pr. Mário Rubens Neves Ribeiro Júnior/Asa Maranhense

(Reunião:15)Tema: Inveja.

INTRODUÇÃO

Quantos males são causados por causa da inveja. De acordo com o dicionário Aurélio inveja é definida como: “Desgosto ou pesar pelo bem ou felicidade de outrem. Desejo violento de possuir o bem alheio”.

Muita violência tem acontecido justamente por causa da inveja, chegando até mesmo a morte.

Davi passou vários apuros devido á inveja do rei Saul.

A Palavra do Senhor nos ordena a não termos inveja dos que praticam a iniquidade (salmo 37: 1)

Tiago Faz uma referencia muito séria quando diz: “pois onde há inveja..., ai há confusão e toda espécie de coisas ruins” (Tiago 3: 16) ainda o apostolo Pedro nos adverte a deixar toda a inveja (I Pedro 2: 1).

A – Males da Inveja

Por ser a inveja um ressentimento aninhado no coração do homem, conclui-se que o invejoso vive em tortura. A bíblia nos mostra inúmeros males causados pela inveja.

a – Abel é assassinado pelo próprio irmão (Gênesis 4: 5- 8)

b – Os irmãos de José tentam mata-lo e depois o vendem (Gênesis 37: 11-20; 26-28)

c – O próprio Cristo entregue pelos invejosos lideres religiosos (Mt 27: 18)

A inveja é um grande mal que só serve para causar grande prejuízo quanto ao invejado. Fuja, Cadete, deste mal tão terrível.

B – Libertando-se da Inveja

Não há invejoso, por pior que seja que possa ser transformado, nem pecado sem perdão em Cristo.

Zaquel é uma prova evidente desta transformação, pois, por meios ilícitos enriquecera-se, mas dispôs-se a corrigir as fraudes cometidas (Lucas 19: 8). Há libertação á disposição de todos os que são vitimas dos males do coração.

O coração do pecador é cheio de inveja e demais males por ela gerados e a ela associados, pode ser purificado e tronar-se lugar especial de guardar a palavra de Deus (Salmo 119: 11-97).

Este mal tão terrível, conforme observou o sábio Salomão ( Pv 14: 30; 27: 4), continua sendo uma realidade constante, até mesmo com boa aparência, procurando aninhar-se totalmente no coração do crente( Fl 1: 15)

Porem, Cadete, a palavra do Senhor nos ensina:

a – Encher-se do Espirito Santo (Efésios 5:18)

b – Lançar distantes tais males (Efésios 4:1-3)

c – Viver de modo digno da vocação (Efésios 4:1-3)

d – Exercitar o domínio próprio (Gálatas 5: 22)

Em I Pedro 2: 1-2 o apostolo determina o despojamento destes males e o desejo de alimentar-se espiritualmente.

APLICAÇÃO

Diante de tudo isso só nos resta pedir ao Senhor para não vivermos na pratica da inveja,pois não nos leva a nenhum bem – aventurança.

1 comentários:

Muiito boom os ESTUDOS , hehe , vamos tirar uma otima nota na prova !
by : Josy

Anônimo
14 de janeiro de 2011 13:52 comment-delete